domingo, 14 de fevereiro de 2010

Esqueceram o Harry Potter no Olimpo.


Percy Jackson e o Ladrão de Raios

Você conhece o diretor Chris Columbus. É dele os Esqueceram de Mim 1 e 2, e os dois primeiros filmes de Harry Potter, além de O Homem Bicentenário, Uma Babá Quase Perfeita e Nove Meses. Todos são filmes bem feitos, divertidos, mas mal dirigidos. Columbus é burocrático. Os fãs de Harry Potter costumam considerar os 2 primeiros filmes como os melhores, mas é só porque eles são os mais fiéis aos livros. Como filmes, são bem mais ou menos. Todos os outros são melhores (até o chato do terceiro). Mas Chris Columbus faz sucesso com as suas burocracias e esse Percy Jackson e o Ladrão de Raios é mais um exemplo disso.

Resumindo: Percy é filho de Poseidon com uma mortal. Rola um barraco no Olimpo, o raio de Zeus foi roubado e ele acha que o tal de Percy é que é o ladrão. E aí ele tem que provar que não é e, de quebra, achar o raio e salvar a mãe. Logan Lerman faz o personagem-título. E mal. Ele estava melhor como o jogador que controla o Gerard Butler em Gamer. A bem da verdade, o trio principal tem atuação de série adolescente de televisão. Brandon T. Jackson não lembra em nada o Alpa Chino de Trovão Tropical e Alexandra Daddario é bonitinha, e só. Não que o resto do elenco esteja bem, até porque o Chris Columbus não dirige bem atores. Pierce Brosnan e Sean Bean estão corretinhos e Uma Thurman está bem mal. Jake Abel e Rosario Dawson até se salvam nesse furdunço aí.

Dito isso tudo, pode parecer que o filme é ruim, mas não é. É óbvio, ingênuo, mas bem divertido. Típico filme de Chris Columbus. E um dos pontos altos é a utilização da trilha sonora como complemento da narração. Na mais divertida, o trio de heróis acaba drogado dentro de um cassino em Las Vegas. Durante toda a "viagem" deles, o que toca é Poker Face, com a Lady Gaga. Muito bom.

Um bom exemplo de filme de férias, futuro clássico de Sessão da Tarde, Percy Jackson e o Ladrão de Raios cumpre o papel de divertir. Tem as qualidades e os defeitos de todos os filmes do Chris Columbus. Cuidado na produção e no visual. Erros na direção de atores e nas construções das cenas. E como resultado, mais um exemplo de que cinema é a melhor diversão.

4 comentários:

Pat Siciliano disse...

Concordo totalmente! Sessão da tarde das boas, como o bom e velho Simbad... E se os atores não fossem bons a inépcia do Columbus para a direção de atores ficaria muito mais aparente - como em HP.

Que bom que você voltou a postar aqui. Estava com saudade das suas opiniões. Bj-bj!

Toshiba disse...

Concordo, se tomarmos como base apenas o filme e sua intenção de divertir as pessoas.
Mas pra quem leu o livro, fica a impressão de que é uma historia completamente diferente..
Sei que é dificil adaptar um livro pra um filme de 2h, mas esse filme foi a adaptação menos fiel que eu ja vi..
Nem falou tanto da mitologia, como, o porque a Medusa odeia tanto Atena ou que as estações do ano sao feitas pela presença de Persefone no mundo..

é um filme bom pra divertir quem não leu o livro.

Marcio Rolla disse...

Toshiba, realmente não levo em consideração o livro quando analiso um filme. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Mas concordo com você em relação a este Percy Jackson. É outra coisa, não tem quase nada a ver com o livro...

Jefferson Carvalho disse...

Concordo e discordo, concordo por que os filmes de Chris Columbus tem bastante defeitos e não seguem a trilha origenal do livro(coisa que nenhum filme faz), e discordo por que acho Harry e o Prisioneiro de Azkaban, um dos melhor e acho a camera secreta ridículo um dos piores de chris! Agora PJO e LdR é um lixo, cara ele só leu a contra capa? O cabelo de Annabeh é loiro e olhos cinzentos. E ele não luta contra Ares uma das parte que gosto mais. Até eu acho que dirigiria melhor esses filmes, que bom que ele "tentou" concertar os erros em PJO E O MdM!
Minha Opinião! Só acho isso!